Entenda como a contabilidade pode ajudar o empreendedor a se beneficiar com o seu bom pagamento, a notícia foi dada na Semana Global do Empreendedor

O que você acha de um projeto de lei que reconhece de forma prática os empresários que costumam estar em dia com as pendências financeiras? Ótimo, né. É essa a proposta do governo, anunciada durante a declaração do presidente da República, Michel Temer, na Semana Global do Empreendimento, evento organizado pelo Sebrae e que contou com a presença, também, do presidente da entidade, Guilherme Afif Domingos, que explicou como funcionará o projeto que ainda está em escopo.

O projeto auxiliará empresários cujo o pagamento de tributos e impostos está em dia, auxiliando muito empresários de médio e pequeno porte e aumentando sobremaneira a importância da contabilidade fiscal no processo de construção da empresa, já que o levantamento de processos burocráticos alinhado com o caixa da instituição empresarial poderá fazer com que ele o empresário dê um passo a frente no seu patamar de lucros, caso seja beneficiado com as recompensas fiscais promovidas pelo governo, não anunciadas na declaração de Temer, já que o projeto ainda é uma ideia que está sendo estudada. Vingando, sabemos que o projeto estimula até mesmo a abertura de novas micro e pequenas empresas, o que vinha sendo brecado no Brasil devido a recessão.

Auxílio, além do estímulo

Além do estímulo ao pagamento em dia de micro e pequenos empresários, também foi falado pelas personalidades presentes na SGE (Semana Global do Empreendimento) sobre o Projeto de Lei 171, que tramita desde 2015 no Congresso Nacional. A ideia desta PL é o refinanciamento das dívidas, justamente dessas pequenas e médias empresas, que têm sofrido com a crise financeira.

A reformulação da dívida é mais um exemplo da importância da contabilidade fiscal na auditoria de documentos e no levantamento de dados que integre isso às finanças.

Programa “Crescer sem medo”

Desde o início do ano, as mudanças previstas pelo programa já valem para pequenos e micro-empreendedores. Segue as mudanças:

  • Aumento do teto de faturamento do Simples Nacional. O que era 3,6 milhões de reais, subiu para 4,8 milhões;
  • Progressão da alíquota já praticada no Imposto de Renda de Pessoa Física;
  • Nova alíquota apenas no valor ultrapassado, caso ocorra.

A ideia é que com esse tipo de programa, mais empresas passem a aderir ao pequeno e micro empreendedorismo. No que se diz respeito a contabilidade fiscal, o trabalho aumenta, porque na medida em que os programas abrem espaço para novos empreendedores, a responsabilidade com prazos, pagamentos e postura empreendedora e profissional aumentam.

As notícias deste artigo foram passadas pelo presidente do Grupo Sebrae, Guilherme Afif Domingos, assim como o próprio presidente brasileiro, Michel Temer, durante o SGE (Semana Global do Empreendedorismo). O evento já se notabilizou, nos últimos três anos, como o maior do Planeta, quando o assunto é pequenos e micro empresários. 2,5 milhões de pessoas já passaram pelo evento em cerca de 10 mil atividades.

Fale Conosco

Ligue para nós