Conheça as três fases para uma negociação produtiva e a importância da contabilidade gerencial nessas fases

O que fazer para que a negociação que você está à frente seja bem sucedida? Essa dúvida paira em todas as empresa, desde as mais novas e de pequeno porte até as mais tradicionais, de grande porte e tempo de mercado – isso, porque tão importante quanto conquistar o seu espaço no mercado é se manter e utilizar as atualizações dos fatores internos e externos a empresa como fator de influência.

A ideia principal de toda empresa é lucrar, independentemente do valor agregado do produto ou serviço disponibilizado pela empresa, a sua sobrevivência depende estritamente do lucro, para isso o poderio nas negociações é fundamental para o sucesso da empresa. Para isso, todo bom processo de negociação precisa ter necessariamente três fases fundamentais que tendem em probabilidade de sucesso ser maior passando pelo serviço de contabilidade gerencial, isso porque através desses serviços contábeis a empresa terá subterfúgio de informações técnicas que agreguem em todas as esferas de negociação.

Planejamento: O planejamento é o primeiro e grande passo de uma negociação e não pode ser colocado a fundo das outras etapas, justamente pelo fato de ser um molde de sustentação de todo o processo. Nesse momento, os serviços contábeis é um grande braço auxiliador, até porque a contabilidade gerencial detém uma grande gama de dados que podem influenciar positivamente no processo do negócio.

Dominando os dados em questão, você pode construir a sua retórica e barrar as objeções que podem chegar “do outro lado do balcão”. Por isso, a importância de argumentações sólidas dentro de um parâmetro de conhecimento técnico, passados de formas personalizadas ao negócio em questão.

Sempre explore seus pontos positivos e pense em planos alternativos para usar como cartas na manga.

Execução: A execução é um processo com uma série de outros processos dentre si. Quando pensamos em executar essa negociação, temos que colocar em prática todo o planejamento levantado em conjunto com os serviços contábeis, mas não apenas isso, a importância em toda ambientação e condução da conversa agrega ao negócio.

Um local aconchegante e de aparência profissional, com o mínimo possível de intervenções ou interrupções, é a primeira impressão positiva numa reunião de negócios. Após isso, você precisará achar um bom quebra-gelo para iniciar o bate-papo, ou seja, por mais que você precise ser objetivo na condução da reunião, começar falando e negócios logo de cara pode parecer grosseiro e assustador. Por outro lado, enrolar passeando por outros assuntos pode ser enfadonho e cansativo. Por isso, achar o meio termo é tarefa complicada, mas fundamental na negociação.

Agora, quando se o papo vai para os “finalmentes” a objetividade é o caminho mais coerente na apresentação do projeto. A reunião precisa ter início, meio e final e em todos esses processos precisam ser bem explanado o que é tratado. É nesse momento que você pode mudar a estratégia, utilizando cartas na manga, por meio da postura prática de quem você negocia.

Controle: Após o firmamento do negócio, a relação com o “outro lado do balcão” não se encerra. É importante uma fiscalização mútua para que ambas as partes cumpram com o acordado. Seja numa auditoria interna, para você ver se cada departamento da sua empresa cumpre com suas funções, seja no diálogo com a outra parte cobrando as condições acertadas, que sempre precisam estar firmada em contrato comercial.

O tempo de cada processo de negociação é muito particular e depende diversos fatores internos e externos, não há algo uniforme, mas cada etapa é fundamental para um sucesso final.

Fale Conosco

Ligue para nós